Tecnologia do Blogger.

Salmo 127

Translate

Deixe seu recado AQUI!!!

Nome

E-mail *

Mensagem *

Salmos

"ORAI PELA PAZ DE JERUSALÉM! SEJAM PRÓSPEROS OS QUE TE AMAM. REINE PAZ DENTRO DE TEUS MUROS E PROSPERIDADE NOS TEUS PALÁCIOS. POR AMOR DOS MEUS IRMÃOS E AMIGOS, EU PEÇO: HAJA PAZ EM TI! POR AMOR DA CASA DO SENHOR, NOSSO DEUS, BUSCAREI O TEU BEM" SALMOS 122.6-9
curioso gif

sábado, 28 de junho de 2014

ISRAEL O Super Sinal dos Finais do tempo


Quando um repórter de um jornal secular liga e pede razões pelas quais “estudiosos da Bíblia chamam Israel de supersinal do final dos tempos” – você sabe que devemos estar chegando bem perto do prometido retorno de nosso Senhor. Felizmente, eu havia acabado de ler o livro Prophecies for the Era of Muslim Terror [Profecias para a Era do Terror Muçulmano], do rabino Menachem Kohen, no qual ele apresenta uma visão da qual eu nunca havia ouvido falar. Não sendo um cristão evangélico, ele dá as respostas exclusivamente a partir do Antigo Testamento, usando o cumprimento moderno das profecias antigas, as quais, de acordo com Isaías 46.9-11, são a prova inequívoca de que Deus existe. Já dissemos em outras oportunidades que mais da metade das mais de mil profecias do Antigo Testamento já foram cumpridas – independentemente do que dizem os evangelistas do ateísmo. Apenas Deus pode predizer o futuro e fazer com que ele venha a acontecer realmente. O chamado para o retorno de Israel para a Terra Santa, o lugar exato para onde Deus prometeu trazê-lo nos últimos dias, tem acontecido durante nosso tempo de vida. Ninguém nega que os judeus, depois de estarem espalhados por quase todos os países do mundo, agora formam uma população de quase quinze milhões de pessoas no mundo – o que, em si, já é um milagre. Nenhum outro grupo étnico foi capaz de sobreviver tendo sido arrancado de sua terra natal e permanecido fora dela por mais de trezentos anos ou, no máximo, quinhentos anos, exceto os judeus. Eles foram banidos pelo governo romano depois do levante de Bar Kokhba (cerca de 132-135 anos d.C.), quando tornou-se legal que qualquer um que capturasse um judeu naquela Terra Prometida o matasse imediatamente. É, de fato, um milagre em nossos dias que, depois de 1.700 anos, existam ainda judeus que sobraram para voltar a Israel! Mesmo depois que o nazista louco da Alemanha, possesso de demônio, exterminou 6 milhões de judeus, ainda há uma estimativa de 15 milhões de judeus vivos. Além disso, estima-se que pelo menos um terço deles esteja nos Estados Unidos, outro terço ainda se encontra na Europa ou espalhado em outros 200 países pelo mundo, e o outro terço já migrou para sua Terra Prometida, principalmente durante os últimos 150 anos. Isto é, em si, um milagre inacreditável, mas não é tudo.
 

É, de fato, um milagre em nossos dias que, depois de 1.700 anos, existam ainda judeus que sobraram para voltar a Israel


O fato de que tantos ainda existam é apenas parte do milagre! De acordo com o rabino Kohen, isto é apenas parte do milagre sobrenatural. Pois ele aponta que, em proporção direta da migração dos judeus de volta para sua terra, a própria terra tem sido transformada de uma área desértica sem proveito em uma terra que “mana leite e mel”. Na verdade, ela agora é chamada “o cesto de pão” da Europa. Muitos se referem a ela como “Palestina”, um nome que lhe foi dado pelos romanos para insultar os judeus, e que vem da terra dos filisteus, que eram tão imorais e pagãos que tiveram que ser removidos da “Terra Santa”, o que aquele território realmente será um dia. Eu prefiro chamá-la Terra Santa agora!
Como evidência da terra desolada que ela foi durante 18 séculos, o rabino Kohen citou a seguinte descrição, feita pelo famoso escritor americano Mark Twain, durante sua visita à Terra Santa nos anos 1860.
O solo é suficientemente rico, mas é totalmente tomado pelas ervas daninhas. Existe uma desolação aqui que nem mesmo a imaginação pode agraciar com a pompa de vida e ação. (...) Nunca vimos um ser humano em todo o nosso roteiro. Fomos adiante em direção a Jerusalém. Quanto mais prosseguíamos, mais quente ficava o sol e mais rochosa e nua, repulsiva e deprimente, ficava a paisagem. (...) Quase não havia árvores ou arbustos por ali. Mesmo a oliveira e o cacto, aqueles amigos de um solo sem valor, tinham praticamente desertado do país. (...) Jerusalém é sem vida. Eu não desejaria morar lá. É uma terra sem esperança, sombria e desconsolada. (...) A Palestina está assentada sobre saco e cinza. Sobre ela avulta o feitiço de uma maldição que tem feito definhar seus campos e limitado suas energias. (...) A Palestina é desolada e sem encantos. Poderia a maldição da Deidade embelezar uma terra? A Palestina não é mais deste mundo de labuta diária.[1]
A seguir, o rabino Kohen atrai nossa atenção para um fato pouco conhecido que destaca a miraculosa falta de chuva na “Terra Prometida” por causa do julgamento de Deus sobre os judeus devido à sua continuada rebelião contra Ele.
Sabemos que em algumas áreas do mundo a fome ocorre ocasionalmente por causa da escassez das chuvas. Infelizmente, isto acontece, mas na maior parte das vezes, essas ocasiões de fome duram pouco tempo porque os países do mundo são providos de quantidade suficiente de água para manter a vida. Esta condição tem sido verdadeira para todos os países, exceto um. Israel é essa exceção. Este é um país que já foi incrivelmente fértil e que subseqüentemente foi privado das chuvas pela maior parte de 1.800 anos – começando no ano 70 d.C. e continuando até o início do século XX, por quase todos esses 660.000 dias. Virtualmente não houve nenhuma chuva e nenhum alimento durante 1.800 anos – este é um fenômeno totalmente inexplicável e totalmente incrível. Não ter precipitação de chuvas adequadamente por quase dois milênios está além do âmbito das probabilidades estatísticas em qualquer região do mundo – mas em especial onde antes as chuvas haviam produzido uma fertilidade tal que aquela terra era repetidamente descrita como “a terra que mana leite e mel”. Em tempos passados, essa terra fértil ostentava florestas e copiosas colheitas. Até os animais eram semelhantemente afetados. A terra era simplesmente bela em todos os aspectos. Que uma terra assim fértil fosse subitamente privada de água e depois que uma terra assim fértil fosse transformada em um deserto – evoluindo da fertilidade à esterilidade tão rapidamente e tão dramaticamente, parece ilógico. Além disso, esta transformação incomum para uma terra desolada persistiu durante 660.000 dias, algo totalmente sem paralelos nos anais da história mundial.[2]
Uma terra vazia foi transformada na “terra que mana leite e mel”, como acontecia no Antigo Testamento.

Embora a dispersão dos judeus tenha ocorrido por causa de sua rebelião contra Deus ao se recusarem a obedecer ao primeiro mandamento: “Não terás outros deuses diante de mim (Êx 20.3), ela também serviu para livrar a terra, para os judeus, de muitos futuros invasores. Até mesmo muitos dos islâmicos árabes militantes, que, após o século VII surgiram por meio do pagão Maomé, acharam que a terra era inóspita demais para construírem civilizações duradouras naquele lugar.
O que eu acho fascinante neste fato histórico dos 660.000 dias sem chuva, visto que apenas Deus pode enviar e retê-la, é que ela foi retida da Terra Santa por 1808 anos! Mark Twain deve ter chegado para ver o estado lamentável do país justo antes que começasse a chover. Aquele foi praticamente o momento em que os judeus começaram a retornar para sua terra. E, de acordo com meu amigo Joe Farrah, que é proprietário do site jornalístico WorldNetDaily, não apenas começou a chover na metade dos anos 1.800, mas Israel tem continuado a ser uma terra próspera até o dia de hoje. Uma terra vazia foi transformada na “terra que mana leite e mel”, como acontecia no Antigo Testamento. Além do mais, tem sido descoberto gás suficiente ali para fazer Israel não apenas auto-suficiente em combustível, mas também um exportador desse produto para o qual há tanta demanda, que chega a inflamar o ódio dos árabes contra os judeus. E não seria surpresa ver Israel descobrir petróleo. Posso imaginar o que isso faria para aquecer a situação do Oriente Médio.
Israel é “o supersinal” do “final dos tempos” e este é apenas um dos vários sinais. Estamos chegando muito perto do ressoar dos céus (1Ts 4.13-18), que chamará os seguidores do Senhor de volta para casa! (Tim LaHaye - Pre-Trib Perspectives - http://www.beth-shalom.com.br)

Notas:

  1. Kohen, Rabbi Menachem, Prophecies for the Era of Muslim Terror, Brooklyn: Lambda Publishers, Inc., 2007. p. 26. (Kohen cita aqui The Innocents Abroad or The New Pilgrim’s Progress [Os Inocentes no Exterior ou O Progresso dos Novos Peregrinos], Harper & Row, NY, 1922, p. 216).
  2. Ibid., p. 22.
Tim LaHaye escreveu mais de 40 livros e é co-autor dos best-sellers da série Deixados Para Trás.Ele também é um dos editores da Bíblia de Estudo Profética e um dos fundadores do Pre-Trib Research Center (Centro de Estudos Pré-Tribulacionais).

Replicando Materia Site: http://www.beth-shalom.com.br/artigos/israel_supersinal.html



quinta-feira, 26 de junho de 2014

Hugo Chaves e a Maldição sobre Israel (Vídeo)


O que o recém falecido caudilho venezuelano disse: "... Aproveito para condenar de novo desde o fundo da minha alma e das minhas vísceras ao Estado de Israel. Maldito seja o Estado de Israel... Maldito seja! Terrorista e assassino!" 

video

UM ANO DEPOIS...

Exatamente um ano depois de proferir esta maldição sobre Israel (veja video Acima), o ditador anti-semita foi à TV revelar que sofria de um mal (doença) que lhe tinha surgido das entranhas... CHAVEZ COM AHMADINEJAD As mesmas entranhas de onde ele amaldiçoou Israel são agora as vítimas da sua própria maldição... Não nos regozijamos com isto. Pelo contrário, isto serve de alerta para nós, de que com Deus não se brinca. Outros que amaldiçoaram Israel já partiram de forma violenta (Hitler, Saddam Hussein, Khadafi, etc.) e outros podem estar a caminho, a menos que se arrependam. Chavez chamou Israel de "estado genocida"...

Para vencer engarrafamentos, Tel Aviv (Israel) terá rede futurista de 'carros voadores'


Uma empresa americana está construindo uma pista suspensa para "carros voadores" em Tel Aviv, a segunda maior cidade de Israel.




Em um projeto-piloto, veículos para duas pessoas se movimentarão suspensos por cabos magnéticos, provendo uma alternativa de transporte a estradas congestionadas, prometeu a companhia SkyTran, responsável pela obra. O plano é que os passageiros chamem os carros pelo smartphone. A empresa está construindo uma rede de 500m no campus da Indústria Aeroespacial Israelense. Se a ideia der certo, fará também uma rede comercial. Os veículos vão atingir velocidades de até 70 km/h. Como efeito do seu uso, os criadores querem que o sistema melhore o tráfego de veículos no chão. O sistema deve entrar em funcionamento até o final de 2015. Viabilidade comercial Com a pista de testes, a empresa quer comprovar que a tecnologia funciona e pode ser adotada comercialmente. Uma série de projetos semelhantes estão sendo planejados pela skyTran em todo o mundo, incluindo em países como a Índia e os Estados Unidos. Mas a sua viabilidade depende do sucesso do piloto israelense. A SkyTran, que fica parque de pesquisas da Nasa, na Califórnia, quer revolucionar o transporte público com a ideia. Joe Dignan, especialista em cidades inteligentes, descreveu o sistema como "um híbrido da infraestrutura existente com veículos autônomos". "Isso vai despertar o mercado para a produção de veículos autônomos", disse o especialista. "Não é uma ideia assustadora: é mais barato do que construir uma linha de trem e usa uma parte da paisagem urbana situada a 20 metros do chão, que não é usada atualmente." 

 Fonte: BBC Brasil

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Confira 50 nomes de personagens da Biblia confirmados pela arqueologia

Dr. Lawrence Mykytiuk, um acadêmico em pesquisa da Bíblia publicou um artigo onde mostra detalhadamente a confirmação de cinquenta nomes de personagens bíblicos ao longo da história da antiguidade, e isto pelo visto é somente o começo, muito mais ainda está para ser descoberto enquanto as escavações avançam por todo o Oriente Médio, em especial no Estado de Israel.
Vamos começar com os reis hebreus. Segundo a Bíblia , David governou no século X AC, usando a cronologia tradicional. Até 1993 , no entanto, o nome pessoal David nunca tinha aparecido no registro arqueológico , e muito menos em uma referência ao rei Davi. Isso levou alguns estudiosos a duvidar de sua própria existência. De acordo com esta tese Davi era mítico , uma ancestral ou uma criação literária de autores bíblicos posteriores e seus editores . Em 1993 , no entanto, a agora famosa inscrição de Tel Dan foi encontrada em uma escavação liderada por Avraham Biran.
Na verdade Biran era o agrimensor da equipe, Gila Cook, que percebeu a inscrição em uma pedra de basalto em uso secundário na parte inferior de uma parede . Escrito emno século IX AC em Aramaico, que era parte de uma inscrição em uma estela de vitória encomendada por um rei não israelita que menciona sua vitória sobre "o rei de Israel " e a " Casa de Davi". Queira ou não a reivindicação do rei estrangeiro da vitória ser verdade, é claro que um século depois que ele tinha morrido, David foi ainda lembrado como o fundador de uma dinastia(Casa de Davi).

Lista dos 50 nomes de personagens bíblicos confirmados pela Arqueologia Bíblica

Egito

 
Nome
Quem era
Época da atuação AC
Sitação Bíblica
1
Sisaque (= Shoshenq I)
pharaoh
945–924
1 Reis 11:40, etc.
2
So (= Osorkon IV)
pharaoh
730–715
2 Reis 17:4
3
Tirhakah (= Taharqa)
pharaoh
690–664
2 Reis 19:9, etc.
4
Neco II (= Neco II)
pharaoh
610–595
2 Chronicles 35:20, etc.
5
Ofra (= Apries)
pharaoh
589–570
Jeremiah 44:30

Moabe

6
Mesha
Rei
early to mid-ninth century
2 Reis 3:4–27

Aram-Damasco

7
Adadezer
Rei
early ninth century to 844/842
1 Reis 11:23, etc.
8
Ben-Adad, filho de Adadezer
Rei
844/842
2 Reis 6:24, etc.
9
Azael
Rei
844/842–c. 800
1 Reis 19:15, etc.
10
Ben-Adad, filho de Hazael
Rei
early eighth century
2 Reis 13:3, etc.
11
Rezin
Rei
mid-eighth century to 732
2 Reis 15:37, etc.

Reino de Israel - Reino do Norte

12
Omri
Rei
884–873
1 Reis 16:16, etc.
13
Acabe
Rei
873–852
1 Reis 16:28, etc.
14
Jeú
Rei
842/841–815/814
1 Reis 19:16, etc.
15
Joás (= Jehoash)
Rei
805–790
2 Reis 13:9, etc.
16
Jeroboam II
Rei
790–750/749
2 Reis 13:13, etc.
17
Menahem
Rei
749–738
2 Reis 15:14, etc.
18
Peca
Rei
750(?)–732/731
2 Reis 15:25, etc.
19
Oseias
Rei
732/731–722
2 Reis 15:30, etc.
20
Sambalate “I”
governor de Samaria under Persian rule
c. mid-fifth century
Nehemiah 2:10, etc.

Reino Unido ou Reino de Judá

21
Davi
Rei
c. 1010–970
1 Samuel 16:13, etc.
22
Uzias (= Azarias)
Rei
788/787–736/735
2 Reis 14:21, etc.
23
Acaz (= Jeoacaz)
Rei
742/741–726
2 Reis 15:38, etc.
24
Ezequias
Rei
726–697/696
2 Reis 16:20, etc.
25
Manassés
Rei
697/696–642/641
2 Reis 20:21, etc.
26
Jilquias
Sumo Sacerdote durante Josiah’s reign
entre 640/639–609
2 Reis 22:4, etc.
27
Sofonias
scribe durante Josiah’s reign
entre 640/639–609
2 Reis 22:3, etc.
28
Azarias
Sumo Sacerdote durante Josiah’s reign
entre 640/639–609
1 Chronicles 5:39, etc.
29
Gemarias
Oficial durante Jehoiakim’s reign
entre 609–598
Jeremiah 36:10, etc.
30
Joaquim (= Jeconiah = Coniah)
Rei
598–597
2 Reis 24:6, etc.
31
Selemias
father de Jehucal the royal Oficial
late seventh century
Jeremiah 37:3, etc.
32
Jeucal (= Jucal)
Oficial durante Zedekiah’s reign
entre 597–586
Jeremiah 37:3, etc.
33
Pasur
father de Gedaliah the royal Oficial
late seventh century
Jeremiah 38:1
34
Gedalias
Oficial durante Zedekiah’s reign
entre 597–586
Jeremiah 38:1

Assiria

35
Tiglath-pileser III (= Pul)
Rei
744–727
2 Reis 15:19, etc.
36
Salmansasar V
Rei
726–722
2 Reis 17:3, etc.
37
Sargon II
Rei
721–705
Isaiah 20:1
38
Senaqueribe
Rei
704–681
2 Reis 18:13, etc.
39
Adrammeleque (= Ardamullissu = Arad-mullissu)
son and assassin de Sennacherib
early seventh century
2 Reis 19:37, etc.
40
Esaradão
Rei
680–669
2 Reis 19:37, etc.

Babilonia

41
Merodaque-baladão II
Rei
721–710 and 703
2 Reis 20:12, etc.
42
Nebudenosor II
Rei
604–562
2 Reis 24:1, etc.
43
Nebo-sarsequim
Oficial de Nebuchadnezzar II
early sixth century
Jeremiah 39:3
44
Abel-merodaque (= Awel Marduk = Amel Marduk)
Rei
561–560
2 Reis 25:27,etc.
45
Beltesazar
son and co-regent de Nabonidus
c. 543?–540
Daniel 5:1, etc.

Persia

46
Ciro II (= Cyrus the Great)
Rei
559–530
2 Chronicles 36:22, etc.
47
Dario I (= Darius the Great)
Rei
520–486
Ezra 4:5, etc.
48
Xerxes I (= Ahasuerus)
Rei
486–465
Esther 1:1, etc.
49
Artaxerxes I Longimanus
Rei
465-425/424
Ezra 4:7, etc.
50
Dario II Nothus
Rei
425/424-405/404
Nehemiah 12:22
O artigo acadêmico completo foi publicado online na livraria eletrônica do Google e pode ser livremente baixado aqui.
FONTE: CAFETORAH

domingo, 22 de junho de 2014

Curiosidade Sobre Israel e sua Fundação


O moderno Estado de Israel declarou sua independência em 14 de maio de 1948. Embora a maior parte da população de Israel seja judia, não podemos afirmar que todo israelense é judeu. Existem israelenses muçulmanos, cristãos e drusos, por exemplo. A maior minoria étnica é formada pelos chamados árabes israelenses. O sistema de governo israelense é democrático com sufrágio universal e parlamentarista. As línguas mais faladas em Israel são o hebraico e o árabe. O centro financeiro e cultural de Israel é a cidade de Tel Aviv. Possui cerca de 400.000 habitantes, mas faz parte de uma região metropolitana com mais de 3 milhões de pessoas. Tel Aviv também é conhecida pela sua intensa vida noturna e por suas praias. Os arqueólogos acreditam que a cidade de Jerusalém foi fundada por povos semitas por volta do ano 2.600 a.C.. Na tradição judaica, ela foi fundada por Sem e Éber, filho e neto de Noé. Enquanto os judeus se referem a Jerusalém como “Cidade da Paz”, os árabes muçulmanos a tomam como “A Santa”. Jerusalém é sagrada para judeus, cristãos e islâmicos. Depois de Meca e Medina, ela é a terceira cidade mais importante do islamismo. Os seguidores do Alcorão acreditam que o profeta Maomé ascendeu aos céus em Jerusalém. Embora não seja reconhecida em todo o mundo como Capital, Jerusalém é considerada pelos judeus a Capital do Estado de Israel. Ao longo da história, a cidade de Jerusalém foi destruída duas vezes, sitiada 23 vezes, atacada 52 vezes, e capturada e recapturada 44 vezes. Situada a cerca de 27 Km de Jerusalém, a cidade de Jericó é tida pela arqueologia como a cidade mais antiga do mundo. Presume-se que Jericó tenha sido fundada no ano 9.000 a. C. (isso mesmo, 10.500 anos antes da descoberta do Brasil). A primeira referência histórica a palavra Israel é, provavelmente, do 1.210 a. C, em uma inscrição em que o faraó egípcio Mernetapt comemora uma vitória contra as chamadas tribos de Canaã, entre elas Israel. O cisma das tribos de Canaã ocorre em 920 a. C., quando são fundados os reinos de Judá e Israel. Israel é dominada pelos assírios e Judá, pelos babilônios. É o rei persa Ciro quem liberta os judeus do antigo cativeiro da Babilônia. Dois séculos depois do cativeiro da Babilônia, os judeus são conquistados pelos macedônios. Pouco tempo depois, seria a vez dos romanos dominarem toda a região. Ocorreram diversas revoltas judaicas contra a dominação romana. A maior delas ocorre no ano 70 a. C., quando os judeus são derrotados pelos romanos. A última, porém, aconteceu no ano 134 d.C., quando os romanos proíbem o judaísmo e renomeiam a região como Síria Palestina. Com a queda de Roma, Jerusalém e a atual região da Palestina é administrada pelos bizantinos e, em seguida, pelos árabes muçulmanos. O califa Omar conquista pacificamente a cidade e permite que os judeus continuem a praticar a sua religião. Os cruzados cristãos conquistam Jerusalém em 1.099 d.C, porém, após um breve período de dominação, são derrotados pelo sultão curdo Saladino. Os muçulmanos dominaram a região até o século XX, quando foi criado o Estado de Israel. Para os judeus, foi um feito histórico. Para os árabes palestinos foi uma catástrofe. Até hoje, os palestinos se referem ao ano da criação de Israel como o ano da “desgraça” (el-nakba). Todos sabem que os primeiros sionistas liderados por Theodor Herzl desejavam fundar um Estado judeu. O que pouca gente sabe é que eles não pensaram apenas na região da Palestina. Eles pensaram em criar o Estado em territórios hoje pertencentes ao Chipre, Quênia e até Argentina.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Não prenda-se ao passado, Deus te oferece um novo tempo

Depois do anoitecer vem o amanhecer
Depois do temporal vem a bonança
Depois do choro vem a paz


Percebemos que sempre foi assim,
depois de grandes e aparentes catástrofes,
vem um tempo de refrigério,
porém só vê quem vive para isto,
pois o desespero tende a tomar conta dos corações
tentando levá-los a precipitações e agonias sem fim,
mas quem persevera e confia em Deus viverá o novo tempo
de uma força plena e oposta a tanta “judiação”.

O termo judiar veio realmente depois de tantas tentativas de extermínio impiedoso do povo judeu e vemos Mordecai enviando cartas ao povo depois de terem superado a primeira inquisição ou o primeiro Hitler?? embora houve antes de Hamã outras tentativas de massacres, porém foram fracassadas.

Depois de mais uma tentativa de destruição do povo judeu, veio a oportunidade de Deus trazendo liberação de um novo tempo e Mordecai, um bom e fiel homem, soube bem o que significava sobreviver ás nuvens escuras e sombrias da vida... e declarou que a superação daquela fase tão difícil tinha alguns significados e deveria trazer algumas marcas na vida daquelas pessoas vitoriosas:

Ao contrário do que imaginamos, não eram marcas de medos, agressões, angústias, pavores ou tormentos mas marcas de maturidade, vejamos:

1) Sossego dos inimigos

O tempo de afronta, perseguição, humilhação e opróbrio tinha sido vencido e agora a nova fase significava paz e tranquilidade, sossego dos inimigos o fim de toda perturbação mental, emocional, espiritual.

2) Mudança de Tristeza em alegria

O tempo do choro e amargura tinha findado, agora para todos os que venceram e superaram haveria uma transformação de tristeza em alegria, de silêncio em cântico, de postração em folguedo.

3)Mudança de luto em dia de festa

Acabara a pressão de morte, ameaças, afrontas e opressão findou este tempo agora o sentimento de morte seria transformado em festa, haveria festejos, comemoração, alegria e bem estar pois Deus lhes proporcionara vida ao invés de todo o mal que viam levantar-se contra si.

4) Dias de banquetes e de alegria

O tempo de escassez, falta e medo havia passado agora eles deveriam banquetear-se muitos após superarem suas dores e tormentas muitos ficam transpassados e olhando para trás gemem pelo que passaram , porém a ordem era banqueteiem-se de alegria, é assim que deve ser, não ficar chorando o tempo da dor mas festejar diante do novo tempo.

5)Dias de mandarem porções dos banquetes uns aos outros, e dádivas aos pobres.

Além de poderem viver a fartura ao invés da escassez, deveriam partilhar desta libertação e alegria, deveriam comemorar e atingir as pessoas ao redor com este novo sentimento e alegria, não era só para que eles vivessem a cura, mas transbordassem este bem estar para todos que estivessem ao redor.

6)Dar dádivas aos pobres

Novo tempo chegou, e a todos pobres de espírito, todos os miseráveis que viviam sem vigor e força deveriam dar-lhes do alimento que tinham , e este alimento vai além do natural é o alimento espiritual.

Lembre-se que todas estas ordens de Mordecai vieram depois de um grande espanto, ameaça de destruição, muitas vezes poderíamos justificar a nossa apostasia, prostração, passividade, baseando-se em traumas, dores e marcas do passado, porém maior ameaça e afronta que este povo viveu é impossível, porém mesmo depois de tudo , não olhavam para trás, superaram , venceram os inimigos e comemoravam a nova fase.

Não prenda-se ao passado, 'viva a cada dia', não compormeta o teu hoje por causa do seu ontem, viva o presente e se já houve o fim do sofrimento e vitória se alegre em Deus e como Mordecai saiba que Deus te dá sossego dos inimigos, pare de buscar problemas, viva em paz, e fique em paz, mude a tristeza em alegria, pois o que passou passou e ficou para trás, mude o luto em festa, o tempo da opressão , do sentimento de fim, tragédia e morte serão vencidas agora regozije em Deus que tudo pode fazer, banqueteie-se, alegre-se e partilhe com todos ao seu redor deste momento bom e quanto aos pobres de espírito envolva-os com o teu amor, paz, prosperidade, proporcionando-lhes dias de cura.

Ester 9:21 ordenando-lhes que comemorassem o dia catorze do mês de adar e o dia quinze do mesmo, todos os anos,22 como os dias em que os judeus tiveram sossego dos seus inimigos, e o mês que se lhes mudou de tristeza em alegria, e de luto em dia de festa; para que os fizessem dias de banquetes e de alegria, e de mandarem porções dos banquetes uns aos outros, e dádivas aos pobres.

Guarde esse exemplo no seu coração, independente da dura batalha que tenhas que suportar, se sobreviveste é porque agora tens que se levantar e vive o novo tempo, os judeus entendiam isso, e depois de cada grande luta criavam uma nova festa comemorativa, a fim de agradecerem a Deus e ainda festejarem o poder a resistência e novidade de vida proporcionada pela chance de superarem a crise...

então levante-se não fique lamentando mais o passado, viva o hoje com alegria, e se o teu presente é de dor , seja forte e firme para vencê-lo afim de poderes comemorar a sua vitória amanhã, agora se já passante o vale da sombra da morte, se já superaste tua maior batalha não tenhas medo de ser feliz...

Haverá para ti paz, alegria, vida e prosperidade se creres.

Deus te abençoe !
Colabore com o Gospel+ Gobíblia - Busca Bíblia Online e Sites Evangélicos

Israel comemora nesse ano o "ANO SHABAT"



No judaísmo, um ano sabático é o nome do sétimo ano do ciclo de sete anos. Este ano foi ordenado ao povo de Israel por Adonai afim de guardar o repouso da terra - o descanso começa a partir de uma grande parte dos campos agrícolas em Setembro deste ano de 2014 na Terra de Israel, e segundo a normas judaicas, os frutos da colheita devem ser deixados para quem quiser pegá-los e nada deve ser plantado até a próxima estação de semeadura. Os mandamentos do ano sabático são acompanhados por fundos de apoio e ordenanças públicas.
O ano sabático antes seria o ano de ה'תשע"ה, que terá início em 25 de setembro de 2014, no Ano Novo Judaico - Rosh Hashana.

O primeiro ano sabático

Embora foi ordenado ao povo de Israel o ano Sabático já na Torá, a ordenança deixou de fora a região que ainda não foi conquistada como país independente, como está escrito: ""כִּי תָבֹאוּ אֶל-הָאָרֶץ, אֲשֶׁר אֲנִי נֹתֵן לָכֶם--וְשָׁבְתָה הָאָרֶץ, שַׁבָּת לַיהוָה"", "Eis que quando vieres a terra que Eu vos dou, à descansarão(guardarão o ano shabático)", isto já mais pode ser praticado antes de entrarem em Israel. De acordo com o Midrash , o primeiro ano sabático de Israel ocorreu somente no ano 21 após a entrada do Povo de Israel, porque teria levado cerca de 14 anos para ter-se conhecimento do solo antes de eles começarem o ciclo Sabático. De acordo com a conta do Rambam é aplicada na criação de 2510 desde a criação do Mundo.

Como Calcular o Ano Sabático

O cálculo do ano sabático pode ser feito, teoricamente, de acordo com a conta do número de anos do calendário judaico e ciom a divisão de sete anos sem resto, se essa é a primeira vez que a observância Sabático pelo povo de Israel após a sua entrada em Israel. No entanto, Rav Zevin observa que há dois problemas principais no cálculo do Sabático.

Métodos de cálculo e o Jubileu

O primeiro problema reside no cálculo da lei religiosa controversa de repouso do solo - em princípio entre Ha'Amoraim, como realizar o cálculo do Sabático e Jubileu juntos?
Se deseja incluir o Ano Jubileu na Shmita(Ano Sabático), de modo que 98 anos seria 14 anos sabáticos segundo Rabi Yehuda , ou excluir o ano jubilar do repouso, deixando a cada cem anos será exatamente 14 sabáticos, de acordo com estudiosos, Maimonides tende a sua oposição aos sábios. Rabino Zevin observa em qualquer caso, após a destruição do Segundo Templo ficou claro que a lei judaica como o rabino Judá (apesar de ser uma opinião minoritária), de acordo com os sábios mais dominantes, com adições de Rashi e outros Rishonim.
Segundo Rabino Judá o primeiro ano do oitavo Sabático é também um ano jubilar 
E, na opinião dos sábios, o ciclo sabático começa depois do ano do jubileu

Após a destruição do Segundo Templo

O segundo problema reside no cálculo do ano sabático computacional controverso - a história dos comentaristas talmúdicos iniciais. A disputa diz respeito ao ano exato da destruição do Segundo Templo, destruído segundo a tradição que no término do sétimo ano - o primeiro ano do ciclo sabático. A disputa é um desacordo entre os primeiros comentadores talmúdicos: Rashi (cuja a conta diz que o templo foi destruído em 3829 desde a criação) e Rabeinu Tam e outros comentaristas aceitos como o Ramban, o templo foi destruído em 3830.
A teoria afirma que os ciclos sabáticos como de Rabeinu Tam e a posição que também é apoada por Rambam, e em que hoje tendem a manter o repouso da terra. Este Ciclo está sincronizado com a data hebraica da criação do mundo aceita pelo judaísmo, 5768 foi um ano Sabático, e este seria o ano shabático de 824 acordo com a data hebraica da criação.

Anos Sabáticos desde a Primeira Aliya

ה'תרמ"ב • ה'תרמ"ט • ה'תרנ"ו • ה'תרס"ג • ה'תר"ע • ה'תרע"ז • ה'תרפ"ד • ה'תרצ"א • ה'תרצ"ח • ה'תש"ה • ה'תשי"ב • ה'תשי"ט • ה'תשכ"ו • ה'תשל"ג • ה'תש"ם • ה'תשמ"ז • ה'תשנ"ד • ה'תשס"א • ה'תשס"ח • ה'תשע"ה

Alto Investimento

O Estado de Israel aprovou hoje uma série de decisões governamentais que visa dar suporte a guarda do Ano Shabático que deverá ter início em Setembro de 2014.
O orçamento visa indenizar agricultores, facilitar a importação e até mesmo a compra temporária de terras afim de evitar a violação das regras judacais.
FONTE: CAFETORAH

Sequestro de jovens reacende tensão entre Israel e palestinos

Israel está preso ao destino de três adolescentes, que desapareceram quando voltavam de lições em um seminário na Cisjordânia.




O premiê israelense Benjamin Netanyahu acusou o grupo palestino Hamas de envolvimento no sequestro dos três. Os estudantes desapareceram na última quinta-feira perto de um assentamento israelense na Cisjordânia quando voltavam para casa após a aula. O Hamas negou qualquer envolvimento com o caso. O desaparecimento está sendo encarado como o maior episódio gerador de tensão entre palestinos e israelenses desde a formação de um governo de coalisão palestino em abril. Israel suspendeu as negociações de paz com os palestinos quando o governo do presidente Mahmoud Abbas anunciou um governo de coalisão apoiado pelo Hamas. "Aqueles que realizaram o sequestro de nossos jovens são pessoas do Hamas", disse Netanyahu. "As declarações de Netanyahu são declarações tolas", afirmou o porta-voz do Hamas Sami Abu Zuhri. "Nós acreditamos que as últimas prisões de líderes do Hamas, legisladores e ministros têm como alvo quebrar a vontade do movimento do Hamas na Cisjordânia", ele afirmou. O Exército israelense diz ter prendido cerca de 80 palestinos durante as buscas pelos adolescentes. Na noite deste domingo, tropas israelenses cercaram uma edificação em Hebron e tiros foram ouvidos na região. 

Prisioneiros


O medo na região é que se os adolescentes não forem encontrados, a crise pode escalar de forma significativa, segundo o correspondente da BBC em Jerusalém Quentin Sommerville. Israel afirma que suas forças estão preparadas para "qualquer cenário possível". Os palestinos dizem que isso equivaleria a uma punição coletiva. O governo de Israel afirma que uma "operação intensa" está sendo preparada para encontrar os dois jovens de 16 anos Naftali Frenkel e Gilad Shaar, além de Eyal Yifrach, de 19 anos de idade. Eles foram vistos pela última vez na área de Gush Etzion, um quarteirão de assentamentos judeus localizado entre Jerusalém e a cidade de Hebron, predominantemente palestina. O destino desses jovens está paralisando Israel, com ampla cobertura de suas principais redes de TV. Autoridades palestinas afirmaram estar cooperando com as buscas. Netanyahu havia dito, porém que considerava a Autoridade Palestina responsável pela integridade dos adolescentes. Em resposta, autoridades palestinas afirmaram que o desaparecimento aconteceu em uma região totalmente controlada por Israel. Mais cedo, em outra declaração, o Exército israelense fez referência ao sequestro do militar israelense Gilad Shalit em 2006 e disse que os três seriam trocados por prisioneiros palestinos presos em Israel. O sargento Shalit foi libertado em 2011 depois que Israel e o Hamas firmaram um acordo garantindo a libertação de 1.000 prisioneiros palestinos. Também no domingo, o Exército israelense disse que realizou ataques aéreos na faixa de Gaza durante a noite anterior em retaliação ao suposto disparo de foguetes em direção a Israel. Um porta-voz do Ministério da Saúde de Gaza afirmou disse à agência de notícias Associated Press que uma jovem se feriu levemente. Porém, uma criança de sete anos teria morrido recentemente devido ao fato de ter sido ferida por um ataque israelense na semana anterior.

FONTE: BBC BRASIL

terça-feira, 3 de junho de 2014

Judeus trocam França por Israel com medo de antissemitismo

Um número cada vez maior de judeus está saindo da França, em meio ao que a comunidade classifica como uma onda crescente de antissemitismo.


Uma agência especializada na emigração de judeus para Israel informou que ajudou 3,2 mil pessoas a seguirem esta rota em 2013, um aumento de 63% no número registrado em 2012. Muitos afirmam que a crise econômica e o desemprego na França, que chega ao índice de 11%, contribuem para a onda de emigração. O governo de Israel também estimula a mudança, dando ajuda aos que chegam ao país e reconhecimento a diplomas e qualificações conseguidas na França. 

 FONTE: BBC BRASIL
← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial